segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

Fim dos Tempos




o fim dos tempos

o fim do tempo cíclico
em uma reta
vamos em frente
o que passou é esmagado.

fim de todo início
só se pode continuar 
com o que já se tem
e é com o que se tem
que chegamos ao fim.

ou terminamos por aqui
ou continuamos aqui
mas de qualquer forma
estamos acabados.

é o fim de tudo
é o meu fim
é o nosso fim
é o vosso fim
é o fim dos tempos
não há mais tempo para o fim.

fim.








se não for o fim
é o começo do fim.

morremos todos
e sobramos todos
para morrer novamente
até que sejamos levados
para só voltar
quando isso tudo
chegar ao fim.





o quê chegou ao fim?
eu?
você?
nosso tempo?
ou o tempo de todas as pessoas
e lugares?
ainda dá tempo de dar um fim em tudo?

quando acabar, quem vai enterrar?





























PROCURA-SE J.R.
Que homem é esse?
Que homem?
Homem?
Que Maravilha!


Uma maravilha de homem que se desenha. Se contorna e se pinta, se preenche e fica uma maravilha.
Afinal, homem é uma maravilha, homem é maravilhoso, que maravilha de homem, afinal, homem, maravilha!









Homens procuram homens. Que maravilha! Homens encontram homens.










quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Wanted Man








existe um homem inclassificável?

um homem em fluxo constante
socialmente
energeticamente
sexualmente
tem um corpo que serve a si,
a outros homens,
a outras buscas por homens
e que não se deixa tornar um molde.
não é moldado por que não quer
mas foge de outros homens
e ouve outras vozes
que o fazem tornar-se algo,
o homem que ele não quer ser.

e então, pode este homem
deixar de ser homem por tanto tempo,
que não sobre para ele outra saída
que não
inventar um outro homem?





quarta-feira, 25 de maio de 2016

Illusion Tour: Procura-se Homem

Procura-se Homem

é uma ação que fecha um ciclo, desenvolve e abre outro ciclo novo ao condensar os elementos mais básicos de tudo que eu já trabalhava há alguns anos, revela seus caminhos e afirma que são possíveis.

a performance é simples, consiste em colar páginas de revistas gays masculinas com nudez em um mural e por cima delas colar páginas de revistas de moda, com os homens vestidos.

todo o restante nasce na hora, é fruto do desejo. não um desejo erótico diante da nudez, mas desejo reativo e cínico naquela observação dos corpos tão expostos e depois tão cobertos.

ser homem ali, é não ter seios nem vagina e possuir um pênis. a partir disso tirar minha própria roupa, me apropriar daqueles corpos das fotos, sexualizar minha relação com suas imagens e imitá-las é uma brincadeira com o que sobra desse homem.
não é possível saber, mas ao mesmo tempo é, o que desenha e afirma o que o homem afinal pode ser quando nu ou quando se veste. 
não há atitude nítida que estabeleça diferenças e demarcações ao se observar aqueles homens em fotografias, ou ao vivo e presencialmente.
voz, gestos, gostos e objetivos de homens, nós já conhecemos. 
o que não sabemos é o que pode ser feito ou que faz aquele corpo quando está apenas nu e não uniformizado com as vestes que classificamos como masculinas e nem quando esse corpo está sozinho ou nem quando este corpo está com outros corpos masculinos, vestidos ou nus.



me interesso pelo ser neutro. neutro é o que não grita para dizer que está nessa ou na outra posição e não empresta da imagem desse ou daquele lado para provocar. é uma tentativa de ser algo que não precisa da definição. é isso. 
não precisa assumir o lado que já está, nem migrar para o outro, nem ficar no meio do caminho, nem agredir ou se submeter.

é menos físico e mais espiritual. mas é impossível o físico não ser o canal e a mídia que contem esses dados.

sensibilizar o corpo e no entorno estabelecer uma micro-esfera de ocupação.
ao tocar ou exibir o núcleo dessa esfera, toca ou repele outras esferas. faz menos e faz o óbvio para não contaminar ou apropriar-se.
permite-se ser apropriado e relacionar-se (ou não). ser visto é relacionar-se. não querer ser visto ou não poder ser mostrado é relacionar-se com esferas alheias a ponto de abrir o conflito.

há vontade e cuidado. procura-se sanidade e afirmação. procura-se os que se perderam em si e se colocaram para fora e procuraram aos outros e os colocaram para dentro.
procura-se  homem que deseja um homem que é desejado por um homem.
procura-se homens de verdade
aqueles que são nus
os que estão tão certos de si que não fazem força para serem homens
os que estão nus entre os homens.

procura-se uma héterohomo eroticidade

desfazendo ilusão.

FESTIVAL LA PLATAFORMANCE - RESISTÊNCIA EM REDE  28 DE ABRIL DE 2016 











Fotos: Ney Rocha 






Procura-se Homem é um trabalho onde o corpo se entrega à adoração do corpo masculino nu como um desmonte das barreiras físicas entre os corpos dos homens e da própria imagem, onde o artista se relaciona com fotos de maneira que se submete a elas. O conflito aparece na tentativa de cobrir essa nudez para que esse homem erótico não apareça. Mas assim o artista chega ao próprio clímax que é quando revela a si mesmo. A vaidade é o ponto de encontro do corpo alheio adorado ao próprio corpo do artista, que passa a figurar sozinho como único objeto de desejo no momento. O desejo não necessariamente acontece no público, mas no próprio performer que deseja a si mesmo como homem que deve se encontrar entre os outros mas não se sente pertencente ao comum senso de masculino. Nesse senso, a modulação corporal e identificação psicológica com o que se sabe e conhece por masculino não acontece no corpo do performer, que também não se posiciona fora desse mesmo senso. Ao tentar não se parecer com nada, nega a construção e a oposição ao corpo biológico do homem e procura a si mesmo como um indivíduo.


quarta-feira, 20 de abril de 2016

Illusion




01. Controle
02. Era tudo engano
03. Sem explicações
04. Profecia
05. X-Static
06. Wanted man
07. Spaceboys














 Thiago by Ique in Vogue
  Thiago by Ique in Vogue